The Flash Brasil - Anúncio
Review por Lucas de Oliveira

Power Outage (1×07) Nota: 10

  • TRAMA

O Flash fica cara a cara com um vilão que se alimenta e consegue arremessar eletricidade, depois do encontro entre os dois, Barry fica convencido de que perdeu seus poderes completamente. Enquanto Farooq, o meta-humano elétrico invade S.T.A.R. Labs, Rei Relógio, um vilão já visto antes em Arrow, mantém pessoas como reféns na delegacia de Star City, incluindo Iris e Joe.

  • VILÕES

Esse é o primeiro episódio que temos dois vilões ao mesmo tempo, e os dois são excelentes. O Primeiro, Farooq, mais conhecido como Blackout, foi introduzido em uma das mais famosas histórias do Flash nos quadrinhos, “Flashpoint” que foi a importante série que recomeçou o universo DC, o vilão não tem muita importância nem destaque nas revistas e ficou muito melhor na série de televisão. Conseguimos ver pela primeira vez como um dos inimigos de Flash ganhou seus poderes, e a perda de seus amigos, mostrando que os roteiristas estão cada vez mais preocupados com a profundidade dos personagens e suas motivações, isso é ótimo. O segundo é o Rei Relógio, um dos meus vilões favoritos que já apareceram na série Arrow, ele é excêntrico, marcante, carismático e tem uma das melhores caracterizações de todos os antagonistas em ambas as séries, muito parecida com a dos quadrinhos, o personagem é um acerto em geral.

018642900d3

  • CLÍMAX

Para mim o episódio não teve um clímax, mas não leve isso como algo ruim, completamente ao contrário, não teve um clímax por conta de o episódio todo ser um grande momento de tensão. Apesar de não termos uma cena épica de efeitos especiais como nos outros, nós temos muitíssimas vertentes, dois vilões diferentes, Barry perdendo os poderes, tentando ganhar os poderes de volta, Farooq invadindo o S.T.A.R. Labs, o Rei Relógio mantendo as pessoas na delegacia como reféns, a morte do Viga… E impressionantemente o desenvolvimento do episódio é o melhor até agora! Ele não cai em momento algum, e não deixa o episódio parecer saturado com tantas tramas, na verdade deixa quem assiste, preso na tela, curioso e tenso com o que pode acontecer. Coisas que “Plastique” falha por exemplo.

  • FINAL

No final do episódio, Barry recebe seus poderes de volta em um ato heroico para salvar Dr. Wells, e Wells percebe que as relações de Barry na verdade não o atrapalham, mas sim são a chave para conseguir que ele corra mais rápido. Tudo fica bem nas duas situações, todos saem vivos, menos o Viga que acaba morrendo no combate contra o Blackout após ser libertado por Dr. Wells apenas para que ele possa ganhar tempo, mostrando mais da outra face de Wells, por mais que ele seja um vilão, senti um ponta de dó do cara. Não temos um discurso de Barry para fechar o episódio, uma pena. Gostaria de dizer que a cena do assaltante no início foi um ótimo alívio cômico.

vlcsnap-2014-11-26-12h32m28s197

  • CENA PÓS-CRÉDITOS

Tem como os roteiristas jogarem mais na cara que o Wells é o Zoom? Só se colocarem ele de roupa amarela. O cara aparece tirando o sangue de Farooq, procurando um meio de tirar os poderes do Barry, isso me parece algo que o Nemesis do Flash estaria interessado, não? A dúvida que me resta agora é por que ele está tão preocupado que o Barry permaneça sendo o Flash e o por que ele se importa tanto com o Barry, tanta preocupação e zelo pelo herói não faz sentido para um inimigo. Talvez para algum plano futuro? Ou até mesmo para garantir que o Flashpoint ocorra? Esse mistério que se prolonga através da temporada, e que talvez se prolongue através da série está fazendo um trabalho decente para manter sua audiência.

  • EASTER EGGS
  1. Vítimas mencionadas por Wells – Quando Wells está falando o nome das pessoas que morreram no acidente do acelerador de partículas, ele menciona Ralph Dibny. Dibny é o famoso Homem-elástico nos quadrinhos; Bea da Costa é uma heroína brasileira chamada Fire nos gibis, e faz parte da liga da justiça internacional; Grant Emerson, o Detonador, fazia parte da Sociedade da América e foi morto durante a Hora mais Escura; Al Rothstein, o Esmaga-Átomo, consegue aumentar seu tamanho físico em grandes proporções e faz parte da Sociedade da Justiça e Will Everett, o Homem-Incrível (tradução livre para o Português) foi um herói da era de ouro e capturou o assassino de Martin Luther King.
  2. A Esteira Cósmica – A esteira que Barry usa na série, é a famosa esteira cósmica dos quadrinhos. Barry usa a esteira para viajar pelo tempo e os multiversos. Seria assim que Dr. Wells voltou no tempo? Se é que ele vem do futuro…

Deixe seu comentário